Artur Barrio recebe prêmio espanhol

Artur Barrio

O artista plástico português radicado no Brasil, Artur Barrio, recebeu do governo espanhol em maio o Prêmio Velázquez de Artes Plásticas 2011, no valor de 125 mil euros.

O anúncio foi feito pela ministra de Cultura espanhola, Ángeles González Sind. Segundo a ministra, Barrio constrói em sua obra “uma poética radical que produz uma relação e um eco com as situações políticas”.

Vale lembrar que Artur Barrio é o único artista que está representando o Brasil na Bienal de Veneza de 2011.

Trouxas ensanguentadas - Artur Barrio

Fonte:
Revista Itaú Cultural –  Continuum Junho – Julho 2011
http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20110511/not_imp717505,0.php
http://arturbarrio-trabalhos.blogspot.com/

http://veja.abril.com.br/noticia/celebridades/portugues-artur-barrio-vence-premio-velazquez-de-artes-plasticas-2011

Peter Lippmann

Peter Lippmann, é o fotógrafo responsável pela campanha outono/inverno 2011 de sapatos do designer de calçados femininos Christian Louboutin.

As fotos são releituras de pinturas de artistas como de la Tour, Nattier, Beniot.

Georges de La Tour

Releitura de Peter Lippmann para Louboutin

Jean Marc Nattier

Releitura de Lippmann para Louboutin

Trabalho maravilhoso!

Vale uma visita no site do fotógrafo, pois seus trabalhos são fantásticos.

Fontes:
Calcados.com
Peter Lippmann http://www.peterlippmann.com/
Studio da Lu http://studiodalu.com.br/Decoracao/

Eva Hesse

Eva Hesse é considerada uma das melhores artistas da década de 60.

Nasceu no dia 11 de janeiro de 1936, na cidade de Hamburgo na Alemanha. Em 1938, sua família fugiu do nazismo na Alemanha e foi para Nova York.

Graduou-se na School of Industrial Art em Nova York em 1952. Após a graduação estudou no Pratt Institute e na Cooper Union e finalmente formou-se na Yale Scholl of Art and Architecture, onde obteve orientação do genial Pintor e Professor da Bauhaus Josef Albersem 1959. Depois de completar seus estudos em 1959, voltou para Nova York e dedicou-se a sua arte um pouco mais de uma década.

Fazia parte do grupo de artistas como Robert Morris, Bruce Nauman, Richard Serra e Robert Smithson.

Eva Hesse explorava mais amplamente materiais não-rígidos, que driblam a austeridade geométrica do minimalismo como gaze, látex, fibra de vidro translúcido, alumínio, chumbo, polietileno, cobre, tela de arame, serragem, papel e cola.

Suas primeiras obras utilizavam materiais como barbante e papel marche, (1965 e 1966).

No início dos anos 60 voltou a morar na Alemanha, próximo a uma fábrica abandonada de produtos têxteis observando a diversidade de materiais existentes neste local, experimentou fios de tecidos, elétricos e masonite em esculturas.

Fonte:
http://www.hauserwirth.com/artists/34/eva-hesse/bibliography/

Carlos Colombino

A Revista Continnum do Itaú Cultural do mês de abril-maio 2011, em sua 30ª edição, trouxe na seção Mirada uma reportagem sobre o Paraguai.

A matéria traz a busca da identidade paraguaia próximo a comemoração do Bicentenário de Independência, o investimento do país na nova geração para reforçar sua herança cultural e mostra o quanto não conhecemos o nosso vizinho.

Apresenta as ações do governo para a valorização da cultura, os investimentos no setor cultural, música, artes cênicas, artes visuais, cita  museus e alguns artistas, entre eles Carlos Colombino.

Carlos Colombino estudou Arquitetura na Universidad Nacional de Asunción, em 1954, entra no mundo das artes plásticas fazendo parte do Grupo Arte Nuevo, se especializando em Madri e Paris. Criou a técnica xilopintura, que utiliza a técnica de gravador, ao invés de estampar no papel, faz a pintura na madeira.

Considerado um dos mais importantes artistas do Paraguai, tendo ganhado diversos prêmios na Europa e América Latina, como Gran premio de la Bienal de Quito (1968) e I Premio de Pintura-Arte Actual de América y España, Madri (1963). Suas obras estão em  museus e galerias de países como Estados Unidos, Espanha, Itália, Argentina e Paraguai entre outros.

Em 1961, participou da Bienal de São Paulo e em 2006 o Museu Oscar Niemeyer apresentou um panorama da produção do artista na exposição ‘Carlos Colombino – Resumo de uma Antologia”.

Vale muito uma pesquisa!

Fontes:
Revista CONTINNUM – Itaú Cultural
MON – Museu Oscar Niemeyer

Ernesto Neto

Olá pessoal,

Conheci um artista plástico fantástico, Ernesto Neto, depois que assisti uma entrevista sua apresentando sua exposição “Mar de Dengo” (MAM-SP/2010), em um programa exibido pela TV SESC. Como desejava saber mais sobre o artista pesquisei a seu respeito.

Ernesto Neto é considerado um dos mais conceituados artitas de arte contemporânea do Brasil. Em seu currículo, há exposições  na Itália, no MACRO – Museu de Arte Contemporânea de Roma, em Paris, no Phanteon, participação da primeira versão fora da França no Festival de Chaumont-Sur-Loire que aconteceu nos jardins do MAM-SP.

Carioca, tendo em sua formação dois espaços muito importantes para a arte no Rio de Janeiro, o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e a Escola de Arte Visuais Parque Lage. Trabalha com esculturas que se transformam em instalações, os materiais utilizados vão do algodão ao nylon, com formas e volumes tão característicos que permitem o reconhecimento imediato do artista.

Seus trabalhos são fantásticos. Nessa exposição do MAM-SP, as  esculturas são feitas de crochê, formando um grande mar, com referência à praia, ao cotidiano do carioca, ao camelô, com letras de músicas, muita cor, arte contemporânea pura. A exposição é interativa, pois como foi dito pelo artista, “sempre há um lugar para a pessoa descançar, deitar para pensar”.